Single post
paleoxra

MEU DEPOIMENTO: PORQUÊ LARGUEI A R.A. PELA PALEO

Esse texto não é uma comparação sobre PALEO x REEDUCAÇÃO ALIMENTAR e sim, um relato da minha saúde e perda de peso em ambas. Por reeducação alimentar quero dizer os padrões de dieta sugeridos pela maioria dos profissionais de saúde, mas tenhamos em mente que a Paleo é uma forma de reeducação alimentar tabmém (que no caso considero mais saudável).

Os posts antigos do meu blog foram deletados por problemas que tive com o servidor, mas, quem me acompanha há um tempo sabe que eu defendia a reeducação alimentar com unhas e dentes. Ela funcionou muito bem durante 5 meses da minha vida, onde eu até tinha compulsões às vezes, mas costumava ser com frutas ou cereais. Fiquei esses 5 meses na linha, sem comer gorduras, frituras, açúcares e sendo refém do relógio pra comer de 3h em 3h. Eu perdi 25kg, mas tem um fator que eu não divulgava por não achar saudável e não querer incentivar: eu malhava 3h seguidas todos os dias (1h de Boxe ou dança + 1h de musculação + 1h aeróbio). Eu amava e contava os minutos pra chegar o horário da academia até que um dia ela fechou pra reforma e meu peso estacionou. Junto com a falta de exercícios veio a indisposição e mesmo mantendo o consumo calórico, comecei a ganhar peso e ter compulsões. Depois desses ataques eu passava fome porque no outro dia queria compensar comendo menos. A reeducação alimentar passou a ser minha inimiga e me causava ansiedade, nervosismo e tudo que eu pensava é que tinha que passar fome se quisesse ser magra. Também não conseguia entender minha vontade incontrolável por doces e nem compreender porquê meu intestino não funcionava perfeitamente com a quantidade de grãos integrais e fibras que eu comia. Quando seguia à risca o cardápio da nutricionista eu sentia dores de cabeça e tonturas. Aquela comida não deveria ser suficiente pra mim?!

Depois de ver um ano inteiro passar e meu peso continuar o mesmo, conheci um amigo que me disse que se eu realmente quisesse emagrecer eu deveria diminuir o consumo de carboidratos, consumir gorduras e parar de comer de 3h em 3h. Eu disse que isso era um absurdo e que se eu diminuísse carboidratos ficaria tonta (sempre que eu queria perder peso muito rápido eu diminuía os carboidratos e perdia facilmente 2-3kg em uma semana, mas ficava tonta e fraca). Ele retrucou dizendo que a gordura me daria energia suficiente pra evitar tonturas. Olhei praquele guri da minha idade que comia gorduras e era magro e musculoso (sem suplementos) e decidi que valia a pena pesquisar sobre o tema.

A maluca que nem azeite e abacate queria comer por saber que tinha gordura (ainda que fosse “boa”) ainda estava achando um absurdo inserir gordura saturada, as vilãs matadoras, na alimentação (já vimos aqui que é mentira). Comecei a buscar e encontrei milhares de sites de dietas low-carb e paleo que defendiam o consumo de gorduras. Mas não eram blogs de marombas da modinha ou instanutris, mas sim médicos de respeito, nutricionistas e fisiculturistas com artigos sérios e científicos provando os benefícios de comer gordura, tanto pra saúde quanto pro emagrecimento. Indicavam bacon com ovos na manteiga aos pacientes e claro que isso me chamou atenção já que tinha medo até de comer gema!

Quem me conhece sabe que tive um passado onde minha prioridade era perder peso: eu comia bosta se dissessem que eu emagreceria. Mas quando comecei a pesquisar sobre ALIMENTAÇÃO e não mais DIETAS MILAGROSAS, comecei as descobrir as ciladas das indústria alimentícia e, a partir daí, meu interesse foi ter saúde pois sabia que emagrecer seria conseqüência. Pra mim já não servia ser magra com gastrite e outros problemas gastrointestinais. Eu queria ser saudável!

Depois que eu caí no blog do Dr. Souto, já era… estava apaixonada pelo paleo e pelas incríveis explicações e embasamentos científicos das pesquisas que esse incrível doutor publica. Comprei o livro barriga de trigo e achei a solução pra minha vida: a dieta que prometia me livrar de dores de cabeças constantes, gastrite, ovários policisticos, diabetes e tantos outros males! (sem falar nos quilinhos extras!)

Em poucos dias eu estava comendo gorduras e tendo contato com profissionais e entusiastas da dieta paleolítica por todo brasil e mundo. Descobri o Ministério da saúde da Suécia rejeita dietas de baixa gordura. Antes de saber dessa informação eu já tinha conhecimento de que 30% das pessoas lá seguiam uma alimentação LCHF (low carb, high fat – pouco carboidrato, muita gordura). A paleo é sucesso no mundo! (já disse que não gosto de chamar de paleo porque pra mim essa alimentação é apenas a correta pra todo ser humano e não uma dieta, mas a melhor forma de dar saúde ao nosso corpo, evitando doenças.

Li inúmeros casos de pessoas que se curaram, amenizaram, reverteram ou evitaram: alergias, compulsão alimentar, ciclo de menstruação desregulado, insônia, síndrome do cólon irritável, psoríase nervosa, alergias, rinite, artrite e outras ites, síndrome metabólica, síndrome do ovário policístico, esteatose hepática ou gordura no fígado, obesidade, demência, câncer, problemas no coração, hipertensão, alzheimer, intestino preso, e ahhh, preciso citar mais? Me convenci de cara que precisava trocar meu pão integral por omeletes!

Me joguei nesse mundo e só na primeira semana eu eliminei 4kg comendo bacon com manteiga todos os dias no café da manhã e sem passar fome. Comendo quanto eu quisesse e sem contar calorias ou porções e ainda assim, sem inchaços e nem mal-estar. Tem como não se apaixonar por essa dieta?

Aquela compulsão louca por doces? sumiu. Acho que comentei no post anterior sobre insulina e que o consumo de doce dá picos desse hormona e quando ele estabiliza, você já quer mais doce. Doces estão ligados com a área de recompensa do nosso cérebro, logo, viciam como drogas e você quer doces todos os dias. Dietas low-carb não têm picos de insulina!

Fundo do livro Barriga de Trigo:

IMG_20140725_220725357

Ah, aposto que como eu você ficou pensando “Putz, me arriscar numa dieta da proteína? isso faz mal pros rins!” Esqueça isso. A Paleo não é uma dieta da proteína. É uma dieta de comida de verdade. (Quando fiz uma “dieta da proteína” eu perdi peso mas me sentia muito mal. Também, pudera: as proteínas que eu comia eram altamente processadas e industrilizadas: polenguinho, peito de peru, presunto).

Vou contar pra vocês: já perdi peso até comendo miojo. Vocês sabem que perdi 40kg. 25 contei que foi da R.A. e os outros 15? Morava sozinha, estudava, estagiava, não tinha tempo pra comer. Comia miojo, chocolate, porcarias, pastel, tinha um bauru de presunto e queijo num mercado perto da faculdade que eu comia direto. Ainda assim, perdi 15kg. Sabe por quê? eu passava fome. Comia essas porcarias e não comia mais nada no resto do dia. Minha ingestão calórica era baixa e minha saúde mais baixa ainda. Sempre soube que se o gasto calorico fosse maior que o consumo, iria emagrecer. Hoje, com a paleo minha saúde é excelente. Fiz exames antes de inicia-la e daqui algumas semanas farei de novo pra comprovar os bons resultados da dieta pra vocês!

Eu poderia estender esse post falando sobre o quanto essa dieta me faz bem e eu não estou falando da perda de peso, falo da saúde e bem-estar que tem me proporcionado, mas vou parar por aqui antes que vocês me matem porque eu falo falo e não faço um post dando diretrizes pra começar essa dieta! Amanhã tem post sobre tudo que vocês precisam saber pra iniciar uma dieta paleolítica! Depois faço outro post auxiliando na lista de compras e em cardápios e receitinhas!

Beijos!

theme by teslathemes